Mercado de Eventos movimentou US$ 4,6 bilhões no Brasil

Postado por phigino em 15/jul/2016 - Sem Comentários

O setor de live marketing – conhecido no Brasil pelas ações que promovem qualquer experiência viva e ao vivo entre marcas e consumidores – movimentou US$ 21,8 bilhões no Brasil em 2013, um número 5,5% maior que o resultado de 2012.

Desse montante, a maior fatia foi para o segmento de eventos (21% – US$ 4,6 bilhões), seguido pelo investimento em feiras e estandes (18%) e ações de relacionamento e fidelização das marcas (17,9%).

Os dados são de um levantamento feito com cerca de 70 agências especializadas brasileiras para o Anuário Brasileiro de Marketing Promocional 2014, que acaba de ser lançado pelo Promoview.

O segmento de eventos é um dos que devem permanecer com as melhores perspectivas para 2014, de acordo com a Ampro – Associação de Marketing Promocional.

Uma das agências especializadas, que atende com frequência demandas para feiras e eventos de grandes marcas, como Pirelli, Dafra, SAP, TAM, Embraer entre outras, anunciou um crescimento de 9,5% em 2013 e espera faturar até R$ 23,4 milhões em 2014 – 15% a mais, especialmente com ações voltadas para o segmento.

“Estamos tendo um começo de ano atípico em termos de investimentos por parte dos clientes, alguns anteciparam atividades e a grande maioria está postergando eventos para o período pós-Copa e pré-Eleições, ou seja: estamos prevendo uma quantidade enorme de trabalhos que acontecerão em apenas quatro meses e teremos que estar preparados para esta demanda concentrada”, afirma a sócia-diretora da BEM+, Andrea Ortiz.

Entre os trabalhos realizados pela agência que mereceram destaque no último ano, estiveram três projetos grandes para a Pirelli – Fenatran, Convenção Latam e festa Motorsport (F1); o lançamento da marca Unify (ex Siemens Enterprise) no Brasil, com eventos em várias Capitais, incluindo um megaestande para a marca durante a Futurecom; estandes para a Dafra (Salão Duas Rodas) e para a TAM (Abav) e eventos específicos para a SAP e a Embraer.

De acordo com a executiva, durante 2014, as marcas que desejarem estar entre as “top of mind” na lembrança dos consumidores deverão dar preferência para agências que trouxerem diferenciais de atendimento, planejamento e operação, além de conseguirem preços competitivos.

“Os executivos que representam as grandes marcas, que são geralmente as detentoras das maiores verbas, não estão dispostos a se aventurar entregando seus jobs para empresas sem experiência e sem respaldo financeiro, estrutural e operacional. No entanto, querem a melhor relação custo-benefício, há uma pressão enorme por resultados em todos os sentidos. Sendo assim, será natural que os clientes queiram mais por menos e este será o principal desafio do mercado para 2014”, diz.

“O negócio está ganhando musculatura e trazendo uma série de benefícios para os clientes da agência, uma vez que todo o portfólio de serviços e produtos, extremamente personalizados, é direcionado apenas para os clientes da BEM+”, revela o sócio de Andrea, Nico Pochaska.

Fonte: ABEOC Brasil